Pode a homeopatia ficar ainda mais ridícula?

Vamos primeiro lembrar rapidamente dos princípios fundamentais da homeopatia. O primeiro princípio é “para curar um sintoma, administre a mesma substância que causa esse sintoma”.

O segundo princípio é “não faça isso”.

Pois os preparados (remédio my ass) homeopáticos são diluídos tantas vezes que não resta nada da substância original. São apenas água ou o que quer que tenha sido usado como solvente. (Eu roubei essa piada do James Randi, mas a explicação é essa mesmo. Tem também mais detalhes aqui.)

Com base nisso (e outros absurdos como “quanto mais diluído, mais potente o preparado”), é difícil imaginar algo mais ridículo que isso.

Quem dera isso fosse verdade.

E se um preparado (que na verdade é só água) fosse feito a partir de algo que nem existe? Não, nem mesmo os homeopatas seriam capazes de tamanha idiotice, certo?

Errado.

O Oscillococcinum é um preparado homeopático para gripe. No início do século passado, o homepata francês Joseph Roy viu, em praticamente tudo que examinava com seu microscópio (sangue de vítimas com gripe, herpes, varicela, câncer, etc.), o que ele identificou como uma bactéria e chamou de oscillococcus. Segundo ele, além das já citadas essa “bactéria” também era responsável por coisas como eczema, reumatismo e tuberculose. O tal oscillococcus também foi visto no fígado e coração de uma espécie de pato (e esses são usados como base para produzir o Oscillococcinum hoje).

O problema é que o que quer que Roy tenha visto, não existe de verdade. Hoje sabemos que a gripe é causado por um vírus, que é pequeno demais para ser visto num microscópio ótico, reumatismo não é causado por micróbios, etc. Outras pessoas procuraram e não viram a suposta bactéria, mesmo com equipamentos melhores.

A explicação mais provável é que Roy estava vendo algum artefato do equipamento como bolhas de ar.

Então basicamente temos um preparado feito com base em algo que não existe, e essa substância não existente é diluída até que não exista mais nenhuma molécula dessa substância não existente no resultado.

Mas espere, há ainda mais.

O método “normal” de preparar uma solução homeopática é misturar uma parte da substância base (que, como vimos, nem precisa existir de verdade) em 99 partes de água e chacoalhar. Isso é uma solução 1C. Depois mistura-se 1 parte da solução 1C em 99 de água, para obter uma solução 2C, e assim sucessivamente.

O Oscillococcinum é uma solução 200CK. O “K” indica que é usado o “método korsakoviano”. Como dá muito trabalho ficar repetindo o processo de medição 200 vezes, sem falar que 200 recipientes são necessários, esse método simplifica as coisas: a cada iteração, o conteúdo do frasco é descartado e ele é enchido de água novamente, pois o russo estimou (sabe-se lá como) que sobra mais ou menos 1% do conteúdo original.

Eles nem se dão mais ao trabalho de tentar. Se isso não é uma fraude deliberada, não sei o que é.

Agora eu me sinto seguro

Mundo não acaba em 2012, diz astróloga Susan Miller

Com Jesus não se brinca

Você pode comprar (ou não) aqui (e não, eu não ganho nada com isso).

Prêmio Pigasus 2010

Todo primeiro de abril é dia do anúncio do Prêmio Pigasus pela James Randi Education Foundation. O porco alado é oferecido às pessoas ou instituições que mais contribuíram para atrapalhar a divulgação científica e para espalhar bobagens místicas, paranormais, pseudocientíficas, etc.

Este ano os premiados foram:

Cientista: Richard B. Hoover. Richard é engenheiro da NASA, e este ano anuncion (incorretamente) pela terceira vez a descoberta de evidência de vida microscópica em meteoritos, no agora extinto periódico Journal of Cosmology.

Patrocinador: CVS/pharmacy. Por seu suporte a vendedores de água mágica com ineficácia comprovada. A CVS/pharmacy vende esses produtos junto com remédios convencionais, sem nenhum aviso que são apenas placebos sem princípio ativo. Eles também fabricam sua própria versão do oscillococcinum, que é feito triturando o fígado de um pato e não colocando esse fígado de pato em pílulas.

Mídia: Dr. Mehmet Oz. Primeiro a ganhar duas vezes o prêmio em seguida, o dr. Oz promove todo tipo de pseudomedicina na TV. Esse ano, deu suporte ao auto-proclamado medium (e ganhador do prêmio Pigasus) John Edwards e ainda sugeriu que as pessoas procurem “mediuns” para receber mensagens de seus parentes mortos.

Artista: Peter Popoff, por seu retorno das cinzas. Popoff ficou famoso nos anos 1980 fingindo curar pessoas e receber informações diretamente de deus. Na verdade, as informações vinham diretamente de sua esposa através de um ponto eletrônico, fato exposto por James Randi, e isso o levou à falência. No entanto, isso não o impediu de voltar e oferecer “alívio supernatural para dívidas” (wtf?) em troca de algumas centenas de dólares.

Recusa em aceitar a realidade: Andrew Wakefield. Seu artigo que sugeria (erroneamente) uma ligação entre autismo e um tipo de vacina era tão mal feito (e possivelmente fraudulento) que o periódico que o publicou (o prestigiado Lancet) despublicou-o (não depois de o dano já estar feito). Mesmo assim, Andrew Wakefield continua acreditando nas suas teorias e se fazendo de vítima.

Questão aos religiosos

Eu gostaria de poder dizer que isso é uma invenção minha, mas não, foi tirado daqui. Mas é tão bom que tive que traduzir e colocar aqui.

No nosso gedankenexperiment, você tem duas pílulas, e deve tomar uma das duas.

Se você tomar a pílula vermelha, morrerá na hora. Se existir o paraíso, seus pecados serão perdoados (se sua religião requer isso), e você irá para o paraíso imediatamente e para sempre. Se não existir, você simplesmente morre e deixa de existir.

Se você tomar a pílula azul, você viverá uma vida longa e próspera. Você não morrerá precocemente de doença, acidentes, assassinato, etc. Mas, se existir o paraíso, você estará fora dele. Quando você morrer de velhice, você simplesmente deixa de existir, e não vai para o paraíso, mesmo que ele exista para todos os outros.

E aí? Qual pílula vai ser?

Ao meu ver, qualquer um que realmente acredite deveria dizer que toma a pílula vermelha. Por outro lado, se você se considera crente de uma religião, mas ficou em dúvidas na hora de responder, será que você realmente acredita nos preceitos de sua religião?

Alguém já viu…

… um vidente ganhar na loteria?

Não é a Aposta de Pascal

Se você andar com alho em volta do seu pescoço e vampiros não existirem, você não tem nada a perder.

Mas se vampiros existirem e você não tiver alho em volta de seu pescoço, você tem tudo a perder. (Digamos, uns 5 litros de sangue.)

Desta forma, andar com alho em volta de seu pescoço toda a sua vida é sem dúvida a opção mais segura.

(Via Dwindling in Unbelief)

Situação do 2º turno

2oTurno2010

Uma representação bem fiel (hahahaha, fiel, hahahaha) da situação.

Aborto de forma simplificada

Marque um X na opção que você prefere:

[ ] Mulheres vão fazer abortos por diversos motivos, mesmo que você seja contra a ideia, e independentemente de quanto papo sobre jesus você use. Você prefere que elas, inclusive as mais pobres, façam o aborto nas melhores condições possíveis, com médicos experientes, em hospitais de qualidade, de forma a haver o menor risco para a mulher.
[ ] Mulheres vão fazer abortos por diversos motivos, mesmo que você seja contra a ideia, e independentemente de quanto papo sobre jesus você use. Você prefere que elas, principalmente as mais pobres, façam o aborto recorrendo a remédios (sem indicação ou orientações de uso), “médicos” que estão mais para açougueiros, ou coisas como cabides e agulhas de tricô, com grandes riscos de complicações graves ou até mesmo a morte.

Questão aos religiosos (sobre aborto)

É claro que não espero receber respostas, primeiro porque eles só sabem repetir o discurso pronto e não realmente discutir, e segundo porque não creio que realmente haja uma resposta para essa questão. Mesmo assim vale o questionamento para provocar reflexão. Exceto dos realmente religiosos, pois se eles pensassem sobre o assunto (ao invés de simplesmente aceitar uma opinião de alguma autoridade e nunca mais questioná-la ou mesmo pensar sobre ela), não seria mais religião.

Vamos lá então:

Pelo que posso concluir por tudo o que vejo das suas posições a respeito do aborto, o que vocês querem, na verdade, é viver num mundo utópico onde simplesmente ninguém faz aborto nunca.

Justo. Mas como vocês pretendem que isso aconteça? Tornar o aborto crime (ou no caso, manter, já que é assim atualmente) não funciona.

O problema não é legislação. Pode continuar proibido, e as pessoas vão continuar fazendo. Então qual sua solução concreta para tentar chegar a essa utopia, e por que você acha que ela vai funcionar?

Por favor respondam essa questão, não quero que venham dizer que o aborto é pecado, assassinato, que a bíblia proíbe, e muito menos que o candidato X é a favor do aborto.

WordPress Themes